Aleatório


A normalidade não é nada mais que a correria do tempo num mundo farto de pudores.
Vivemos num mundo em que se inventam problemas; A cada segundo…
(Gritar com o mundo, gritar contra o mundo...)
O mundo parte-nos o coração de todas as formas possíveis, é garantido,
Enquanto, as pessoas fazem-me sentir como se não valesse nada
E tornam-me num vínculo desastroso viciado nos desânimos de almas já mortas...

Somos aquilo que vemos,
Vemos aquilo que somos.

Aquilo que somos é mais do que aquilo que pensamos, porque aquilo que somos tem mais valor...
(Nunca fui, mas deixei de ser)
À toa. Completamente à toa.
Não desisto mas não insisto.

Há roupas que se vestem ao contrário e caras que se confrontam de costas só porque sim...
Só porque, o mal está na nossa cabeça e não nos outros,
E tudo o que me mata faz-me sentir viva.
Mas a vida… é sempre a vida, nunca somos nós. Ironicamente nunca fomos.

E de vez em quando sabe tão bem poder abraçar uma tristeza que seja triste o suficiente... 
(Hoje ninguém sabe o que isso é, poucos a querem viver…)
Sempre vi na tristeza um encanto que nunca saberei explicar, sempre me soube sentir melhor ao seu redor...

Somos (sempre) sós…
Só somos certos para nós mesmos, ninguém é certo para ninguém.
(Não existem pessoas normais…)

E para mim
Romântica compulsiva, predileta e sem cura.
Do que fui,
E ainda sou.

Quem me der livros e almas cativas dá-me a vida.

5 comentários

  1. Lindo <3 Adorei
    beijinhos

    N// http://sarameirelesthesnowwhite.blogspot.pt/2016/01/promtimes.html

    ResponderEliminar
  2. Que bonito Inês, uau.

    E de vez em quando sabe tão bem poder abraçar uma tristeza que seja triste o suficiente... - ADORO!!

    ResponderEliminar
  3. Tão grata por ter descoberto o teu blog! Simplesmente fantástico :)

    Convido-te. http://momentum-sc.blogspot.pt

    ResponderEliminar